CHC Advocacia, Advogado

CHC Advocacia

Fortaleza (CE)
376seguidores35seguindo
Entrar em contato

Sobre mim

Escritório de Advocacia
A Carlos Henrique Cruz Advocacia é composta por profissionais qualificados aliados com os mais de vinte anos de atuação profissional do Dr. Carlos Henrique Cruz, investindo continuamente na qualificação e atualização de conhecimentos de sua equipe.

Verificações

CHC Advocacia, Advogado
CHC Advocacia

Autor (Desde Jun 2016)

Comentarista (Desde Jun 2016)

PRO
Desde November 2016

Principais áreas de atuação

Direito do Consumidor, 8%
Direito do Trabalho, 8%
Direito Tributário, 8%
Direito Administrativo, 8%
Outras, 68%

Comentários

(8)
CHC Advocacia, Advogado
CHC Advocacia
Comentário · ano passado
Prezado Gabriel,
com base no princípio da vedação ao enriquecimento ilícito e na garantia de que o empregado deve perceber remuneração compatível com os serviços prestados, os Tribunais do Trabalho têm decidido no sentido de garantir ao empregado que acumula função o recebimento do respectivo adicional. Segue abaixo decisão proferida pelo TST que confirmou a decisão do regional para condenar a reclamada ao pagamento das diferenças salariais por exigir cumulativamente a função de farmacêutica e gerente:

AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE REVISTA. ACÚMULO DE FUNÇÃO. O Regional, amparado na prova oral colhida nos autos, notadamente no depoimento das testemunhas, concluiu que a reclamante, contratada como farmacêutica, acumulava o exercício dessa função com a de gerente do estabelecimento, não percebendo contraprestação pecuniária para tanto. Assim, não se divisa violação dos artigos
818 da CLT e 333 do CPC, pois o Regional não dirimiu a controvérsia sob a ótica das regras de distribuição do ônus da prova. Também não se vislumbra ofensa ao art. 62, II e parágrafo único, da CLT, porquanto, uma vez demonstrado o acúmulo de funções, o pagamento das diferenças salariais decorrentes do plus pelo exercício do encargo de gestão é imperativo. Ademais, para entender de modo diverso, como quer a reclamada, isto é, no sentido de que a reclamante não laborou em acúmulo de funções, seria necessário o revolvimento de matéria de fatos e provas, o que, nesta etapa processual, encontra óbice na Súmula nº 126 do TST. Agravo de instrumento conhecido e não provido. (TST - AIRR: 8498820115200006 , Relator: Dora Maria da Costa, Data de Julgamento: 30/04/2014, 8ª Turma, Data de Publicação: DEJT 05/05/2014)

Recomendações

(53)

Perfis que segue

(35)
Carregando

Seguidores

(376)
Carregando

Tópicos de interesse

(32)
Carregando
Novo no Jusbrasil?
Ative gratuitamente seu perfil e junte-se a pessoas que querem entender seus direitos e deveres
Fale agora com CHC
(85) 3268-22...Ver telefone
Rua Coronel Jucá, 999 - Fortaleza (CE) - 60170320

CHC Advocacia

Rua Coronel Jucá, 999 - Fortaleza (CE) - 60170-320

(85) 3268-22...Ver telefone

Entrar em contato